Páginas

PESQUISE PRODUTOS E COMPARE PREÇOS AQUI !

domingo, 20 de julho de 2014

CRÉDITO CONSIGNADO - APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO INSS PISAM NO FREIO DO EMPRÉSTIMO

O CRÉDITO CONSIGNADO oferece juros menores e prazos longos para pagamento. Se comparado com outras modalidades de crédito, é realmente um bom negócio. O problema é que, muitos aposentados e pensionistas, além de funcionários do serviço público, que tem acesso fácil a este tipo de empréstimo, acabam perdendo o controle sobre o nível de endividamento. É preciso pensar bem antes de fazer o empréstimo, pesquisar as taxas oferecidas, e fazer cálculos cuidadosos na hora de renovar o empréstimo.


Endividamento reduz busca por empréstimos

A Previdência Social registrou queda de 35% no número de contratos de empréstimos consignados pessoais no primeiro trimestre deste ano


Rio - A Previdência Social registrou queda de 35% no número de contratos de empréstimos consignados pessoais no primeiro trimestre deste ano. Em março, último levantamento do ministério, foram assinados 1.041.504 contratos por aposentados e pensionistas do INSS com bancos conveniados ao ministério, num total de R$ 3,543 bilhões movimentados. Se a comparação for feita em relação a fevereiro, a baixa é ainda maior, de 40%. No segundo mês do ano foram fechados 1.737.708 contratos.No Estado do Rio, em março, as instituições financeiras firmaram 95.241 contratos, com liberação de R$ 352,2 milhões de recursos.

Três fatores influenciaram a redução da busca por crédito com desconto em folha de pagamento. O primeiro diz respeito ao grau de endividamento dos segurados que estão pagando empréstimos contratados e ainda não acabaram de pagar. Segundo a Previdência, 88% dos empréstimos são de longo prazo, variando de 49 a 60 meses. 

O segundo ponto é relacionado ao que Marcelo Prata, presidente do Canal do Crédito, site de comparação de produtos financeiros, classificou como maturidade do mercado com a entrada de grandes bancos no ramo do consignado do INSS nos últimos anos, até então dominado por instituições menores. 

O terceiro e mais recente motivo tem a ver com a entrada em vigor de novas regras da portabilidade de crédito, que garantem a troca de bancos para o cliente tentar diminuir o custo do empréstimo. O especialista acredita que a busca por empréstimo consignado tende a continuar em queda. Mas apesar isso, muitas instituições continuam a assediar os aposentados com anúncios de facilitação do crédito.

“Com a entrada dos grandes bancos na concorrência, o crédito está mais qualificado. As instituições não oferecem empréstimos a qualquer um. Os correspondentes e os pastinhas, que praticamente sumiram, foram perdendo força e não têm mais tanto a oferecer a clientes com a entrada dos grandes bancos no mercado de consignação”, avalia.

De acordo com dados do INSS, a participação dos grandes já é percebida. O que mais emprestou foi o Itaú BMG Consignado com 24,1% dos contratos em março; Bradesco Promotora, (17,6%); BMG (12,7%); Votorantim (10,2%); Caixa Econômica (6,6%); Itaú (5,75%); e BB (4,23%). 

As faixas etárias que mais se comprometem com desconto no contracheque é de aposentados e pensionistas de 60 a 69 anos (418.224 empréstimos).

Fonte: O DIA / 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para nós. Lembre-se de que é sua a responsabilidade pelo conteúdo dos comentários que faz. Ajude-nos a melhorar, fazendo críticas e apresentando propostas de assuntos e matérias. Grato.

Google+ Followers